Laborterapia, espiritualidade e fatores emocionais, na comunidade terapêutica

Home » Blog » Laborterapia, espiritualidade e fatores emocionais, na comunidade terapêutica

Hoje mais do que no passado, a temática das drogas é uma questão grave de grande relevância social, onde, muitas vezes, os fatores são confundidos.

Refere-se aqui o entendimento por produtos químicos, de origem natural ou de laboratório, que produzem efeitos, sentidos como prazerosos, sobre o sistema nervoso central, os quais resultam em alterações na mente, no corpo e na conduta.

Muitos são os fatores que levam ao uso das drogas, a angústia vital é mais frequente em algumas fases da vida, na adolescência por exemplo, ou em indivíduos adultos considerados inseguros ou portadores do ego frágil, podendo provocar um discreto desequilíbrio de personalidade.

Atualmente, convive-se com um crescimento alarmante no consumo de substâncias por usuários em idade cada vez mais precoce, bem como, o desenvolvimento de substâncias novas, com incremento nos efeitos e aumento no potencial de desenvolvimento de dependência, como o crack, o álcool, a cocaína por exemplo.

De acordo com a organização mundial da saúde, substâncias psicoativas que ao entrarem

Em contato como o organismo, sob diversas vias de administração, atuam no sistema nervoso central.

Considera-se uma doença pela OMS a dependência química apresenta os seguintes sintomas:

  • Tolerância a necessidade de aumento da dose para obter o mesmo efeito;
  • Crises de abstinência, ansiedade irritabilidade, insônia ou tremor quando a dosagem é reduzida ou o consumo é suspenso;
  • Ingestão em maiores quantidades ou por maior período do que o desejado pelo indivíduo;
  • Desejo persistente ou tentativas fracassadas de diminuir ou controlar o uso da substância;
  • Perda de boa parte do tempo com atividades para obtenção e consumo da substância ou recuperação de seus efeitos;
  • Negligência com relação a atividades sociais, ocupacionais e recreativas em benefício da droga;
  • Persistência na utilização da substância, apesar de problemas físicos e/ou psíquicos.

A comunidade terapêutica tem dado provas de constituir um eficiente trabalho no tratamento do dependente químico, por isso tem se tornado, uma das modalidades mais procuradas pelas famílias para este tipo de recuperação.

Existem muitos métodos que diferentes comunidades aderem ao tratar o paciente, mas uma das que mais são utilizadas são: laborterapia, espiritualidade e conscientização, oferecendo assim um modelo de recuperação que pode promover mudanças significativas no comportamento do dependente químico.

Uma iniciativa muito importante na recuperação da dependência química na comunidade terapêutica é a laborterapia, a espiritualidade e a conscientização que é usado nas comunidades terapêuticas, muitos chamam o tripé da recuperação:

Laborterapia: é desenvolvida uma horta para servir como tratamento terapêutico para os internos e vem apresentando bons resultados, as pessoas ajudam na manutenção da horta e ali passam boa parte do tempo.

As pessoas são internadas para tratar da dependência química, porém esta iniciativa tem demonstrado uma melhora muito grande no tratamento dos pacientes.

A laborterapia alivia o estresse, diminui a ansiedade, melhora o humor, enfim são várias as vantagens desta ocupação.

A laborterapia é uma terapia, pois como já havíamos comentado a terra alivia o estresse principalmente. Ninguém é obrigado a participar da laborterapia, no entanto eles acabam querendo cuidar da horta de forma espontânea.

O que mais dá satisfação para eles é acompanhar o crescimento da horta, pois a laborterapia para eles é uma das maneiras de deixar de lado muitas vezes a tristeza das lembranças dos erros cometidos no passado.

Laborterapia

Além de servir como atividade para eles, a laborterapia ainda ajuda eles a se sentirem valorizados, pois além de ajudar no tratamento, os alimentos produzidos por eles também são utilizados pela cozinha da comunidade.

A espiritualidade tem sido referida por ser de fundamental importância no tratamento e na recuperação de dependentes químicos, pois tem seus princípios baseados nos doze passos, que enfatiza a confiança num poder superior. Vejamos alguns itens que são importantes dentro da espiritualidade:

  • A prática da meditação e da prece para promover uma experiência consciente diretamente com Deus;
  • Mudança interior do dependente químico, capaz de dar novo sentido à vida ou de abrir novos campos de experiência e de profundidade rumo ao próprio coração e ao mistério de todas as coisas;
  • Espaço da paz interior no meio dos conflitos e desolações sociais e existenciais;
  • Encontra na espiritualidade um apoio que engloba a s três dimensões do ser humano: física, emocional e espiritual.

Citamos apenas alguns benefícios da espiritualidade na recuperação do dependente químico, pois se o desenvolvimento espiritual pode originar a sobriedade e recuperação em dependentes químicos, é natural que seja considerado como um tratamento suplementar.

Nos dias de hoje os fatores emocionais podem ser determinantes no abuso de substâncias causadoras da dependência química. Habilidades sociais podem necessitar de novos ajustes, pois é possível que haja influência do meio social e seja importante aprender novas formas de lidar com amigos usuários de substâncias que causam dependência. Alguns fatores que levam ao uso de drogas:

  • Em casa muitos filhos não tiveram modelos ou experiências como os pais que permitissem uma figura paterna estável, compreensiva e complementar para que pudesse obter a identificação, e dessa forma, fragilizaram-se e acabaram sendo presas fáceis para o vício, pois a maioria dos pais vive num determinado padrão cultural que acaba por ser como uma ditadura para os filhos, somando tudo a fatores emocionais;
  • Angústias pessoais, pressão familiar, brigas familiares, ambiente social, sentimento de impotência, de intolerância a frustração, de impossibilidade de manter um projeto, devido à incapacidade de esperar, de conceber o transcurso do tempo como aliado e não apenas como uma força destruidora, tudo são fatores emocionais que levam à dependência química;
  • Alguma frustração muito marcante, faz com que o desejo e o prazer com a droga substituam toda a sua desilusão e desgosto.

Somando todos esses fatores emocionais, o que encontramos são jovens com grandes fatores emocionais e psicológicos a serem tratados.

Por isso as comunidades terapêuticas passaram a exercer uma grande importância no âmbito da sociedade.

Feitas para abrigar, cuidar e tratar dos dependentes químicos, tanto as comunidades terapêuticas quanto as clínicas realizam um papel de destaque na recuperação destes doentes.

Vale ressaltar que não existe cura para a dependência química, mas que a doença pode sim ser controlada, se o doente tiver esse interesse.

Comentários

Comentários

2017-12-07T12:57:20+00:00
%d blogueiros gostam disto: